Para estimular uma perda de peso é essencial fazer dieta – não existe volta a dar nesse ponto, é impossível você abusar na comida, incluindo aquelas que não são saudáveis, e depois ficar na ilusão que meia hora de caminhada vai contrabalançar tudo.

Confira 3 dicas infalíveis que vão ensinar você a gostar de malhar:

Mas isso não significa que a malhação é secundária, por que isso também não é verdade. Para uma perda de peso contínua e efetiva, é essencial que a dieta e o exercício físico andem de mãos dadas.

Infelizmente uma coisa é verdade para a maioria de nós: é difícil gostar de malhar. O cansaço, o suor, a própria falta de vontade faz com que qualquer rotina que a gente comece acabe por ser interrompida e deixada de lado. Se os resultados demorarem a aparecer, pior ainda.

Então, existe uma maneira de mudar isso. Existe uma maneira de começar a gostar de malhar, e assenta em três pilares: Motivação, Hábito e Avaliação. Vamos ver cada um deles agora.

Motivação

Sem uma boa dose de motivação nada é feito, inclusive sair da cama de manhã. Mas nós encontramos motivação em todo o lado, seja ter que ir trabalhar para ganhar dinheiro, seja para estar com os amigos na escola, seja ir fazer aquele passeio combinado com o pessoal.

Para o exercício, motivação é a mesma coisa: você precisa saber que vai haver uma recompensa para o seu esforço, você precisa estar constantemente ligada naquilo que vai conseguir. Então a melhor maneira de encontrar – e manter – a motivação é fazer uma lista de coisas que você vai conseguir, ao se exercitar continuamente. Nessa lista, você pode enumerar todas as razões que quiser: perder peso, ficar com o corpo mais tonificado, subir as escadas do prédio sem perder o fôlego, poder correr com as suas crianças, aumentar a sua longevidade, etc. O desafio é fazer a maior lista possível, incluindo aqueles itens mais interessantes, como ficar mais flexível, aumentar a performance sexual… sim, é verdade, até a vida sexual melhora quando a gente está em forma. Afixe a sua lista num local bem visível, de preferência na porta da sua geladeira, para que você esteja sempre se lembrando dos motivos que a incentivam a malhar.

Outra maneira de motivar é conseguir um parceiro/a para a malhação. Pode ser uma amiga, colega de trabalho, o marido… mas o detalhe é ter alguém a quem vamos prestar contas, a quem temos um compromisso, uma pessoa que não podemos deixar na mão.

Hábito

Então já vimos que a Motivação é essencial, mas o hábito é que vai cimentar a malhação na nossa rotina. Temos que estabelecer metas alcançáveis, sem exagerar nos objetivos, e sem esquece o acompanhamento médico. Não adianta você pensar que vai começar a correr uma maratona, quando mal saiu do sofá durante todo o ano. Pegue leve, comece com uma caminhada, vá aumentando o ritmo aos pouquinhos, um dia de cada vez, e depois sim, comece a pensar em objetivos mais distantes. Crie um ritmo dentro de você, como se fosse um relógio que avisa que está na hora. Quando você chegar nesse ponto, o hábito do exercício já faz parte de você, o que torna tudo muito mais fácil, e até mesmo prazeroso.

Essencialmente, pratique todos os dias, ou pelo menos durante alguns dias da semana, conforme o ritmo e padrão que você definiu. Tente nunca furar a sua rotina, mesmo que em vez de meia hora você faça apenas 10 minutos. Quando esse hábito enraizar, aí sim você pode começar a manejar melhor os dias – trocar um dia pelo outro, ou fazer o dobro da caminhada se falhou no dia anterior. Mas atenção, apenas comece a manipular os seus dias e horários de exercício quando tiver a certeza de que tem o hábito enraizado em você, se não corre o risco de você bagunçar a sua rotina, perder o ritmo e eventualmente desistir.

Avaliação

Muitas vezes pensamos que não estamos chegando a lado nenhum na malhação, mas isso na verdade é falta de perspectiva. Assim que você começou a malhar, talvez só conseguisse fazer 15 minutos de corrida, mas agora já consegue correr por meia hora sem perder o fôlego. Talvez antes você mal conseguisse fazer um treino de resistência com 5 quilos, mas agora você já consegue levantar pesos bem mais pesados.

E em relação ao corpo? Antes o seu bumbum estava flácido, agora já dá para ver que está bem mais tonificado. É essencial fazermos um “inventário” das coisas que já conseguimos, não apenas para colocarmos objetivos ainda maiores, mas para principalmente sabermos que evoluímos, que estamos melhorando, de que está existindo um resultado. Por exemplo, se a sua tensão era alta antes, pode ser que agora já esteja mais moderada, ou que os seus batimentos cardíacos estejam mais estáveis. Não interessa se os resultados foram enormes ou pequenos, o que interessa é que eles existem, o que justifica que você continue nesse caminho.

E então, você concorda com esses três pilares – Motivação, Hábito e Avaliação? Qual é a maneira com que você se convence a gostar de malhar? Os seus comentários são mais do que bem-vindos, nós estamos todas juntas nessa luta para combater os quilinhos!