Castanha do pará - imagem

Rica em selênio, a fruta acelera a queima de gordura e previne o envelhecimento.

Imagem da castanha do pará 

A castanha do pará

Fruto da castanheira, árvore nativa da Floresta Amazônica, a castanha do pará foi classificada pela Anvisa como um alimento funcional, pois além de nutrir oferece inúmeros benefícios à saúde. Seu consumo diário pode combater diabetes, obesidade, doenças cardiovasculares e colesterol alto, e a grande quantidade de selênio encontrada na fruta é fonte de longevidade.

 

Conhecida também como castanha-do-brasil, a oleaginosa é parceira na dieta, pois ativa o metabolismo queimando a gordura mais rápido. O alimento ainda regula o nível de açúcar no sangue, e ajuda a converter estoques de gordura em energia para o corpo.

Benefícios da castanha do pará

A castanha do pará possui alta concentração de gordura, por isso, muitas vezes assusta os consumidores, mas a gordura presente na fruta é mono e poli-insaturada e tem propriedade antioxidante. O resultado é um combate às inflamações do organismo, melhorando o funcionamento das células e evitando o acumulo de gordura, assim acelera o emagrecimento e melhora o colesterol. A circulação sanguínea também se beneficia com esse processo, evitando doenças cardiovasculares.

 

Outro atrativo da fruta oleaginosa é sua quantidade de proteínas, sendo uma alternativa para vegetarianos. Cálcio e magnésio também estão presentes no alimento, fortalecendo os ossos e promovendo melhorias no desempenho físico.

 

A castanha do pará ainda é excelente fonte de selênio, mineral que combate radicais livres e elimina toxinas do organismo, evitando o envelhecimento das células e o aparecimento de doenças neurodegenerativas como o Alzheimer. Estudos apontam ainda uma relação entre consumo de selênio e diminuição de risco de câncer.

Como consumir a castanha do pará?

A indicação é que cada adulto consuma de uma a duas unidades por dia. A castanha do pará pode ainda ser encontrada em forma de óleo, muito utilizado para temperar saladas e assados.

 

Mas atenção: o azeite de castanha, assim como o de oliva, perde suas propriedades benéficas quando aquecido, e deve ser consumido com moderação pelo alto valor calórico.

 

Em sua forma natural, a fruta oleaginosa é muito utilizada em bolos e sopas, partida em pequenos pedaços. Dá também para fazer paçoca de castanha, rechear ou empanar carnes, dentre inúmeras outras opções. A vantagem da fruta é que nem o calor do fogão nem o frio da geladeira destroem suas reservas de selênio, então dá para criar bastante.

Riscos à saúde

Além de engordar (cerca de 27 calorias por unidade), a castanha do pará em excesso é um risco para a saúde, pois o selênio abundante na fruta pode causar intoxicação. Exagerar uma vez ou outra no Happy Hour tudo bem, mas nutricionistas indicam que consumir mais de 10 unidades todos os dias pode causar fraqueza, dores, e dependendo do grau pode ser até fatal.

Onde comprar?

Nutricionistas apontam que quando exposta à luz, a castanha do pará oxida e perde as propriedades benéficas. Portanto, aquelas vendidas em embalagens plásticas no mercado são bombas calóricas sem nada de bom. O ideal é comprar as castanhas ainda na casca, mas essa opção raramente se encontra à venda, então aconselha-se procurar as frutas embaladas a vácuo ou em recipientes escuros que não permitam a entrada de luz e oxigênio.

 

Depois de aberta, conservar na geladeira, em local escuro e com baixas temperaturas.

 

Informações nutricionais (100 g)

  • Calorias – 656
  • Proteínas – 14 g
  • Gorduras – 66 g
  • Carboidratos – 12 g
  • Fibras – 8 g
  • Selênio – 4.000 mcg
  • Cálcio – 160 mg
  • Magnésio – 376 mg