Segundo a Organização Mundial da Saúde carne processada aumenta a chance de desenvolver câncer.

carnes-processadas

A OMS – Organização Mundial da Saúde – divulgou um documento que diz, em linhas gerais, que bacon, carne vermelha e linguiça podem causar câncer. Esses tipos de alimentos foram incluídos no grupo 1 da OMS, ou seja, existem evidências científicas suficientes de que este tipo de agente causa câncer em seres humanos. Outros itens que se encaixam no grupo 1 são tabaco, álcool e radiação solar, por exemplo.

De acordo com este documento, 50 gramas de carne processada por dia, o equivalente a duas fatias de bacon, aumentam a chance de desenvolver câncer colorretal em 18%. Os alimentos processados podem causar câncer por causa das substâncias adicionadas durante o processamento, já que são usados sal e aditivos químicos em produtos como presunto, patês e hambúrgueres para mantê-los conservados. 

E agora? Carne vermelha vai ficar fora do seu cardápio?

No que diz respeito à carne vermelha, o alerta não é tão direto, justamente por falta de provas mais conclusivas, o que faz com que no documento seja citada como “provavelmente cancerígeno”. 

Como lidar com essa informação para a sua dieta e alimentação

Uma alimentação equilibrada sempre é a melhor saída para qualquer caso – seja para quem está fazendo dieta ou, ainda, para quem busca manter uma alimentação equilibrada e saudável.

A própria OMS destacou que o consumo baixo de carne traz benefícios à saúde, aquém do fato de que existem riscos e comer carne com moderação.

Indiscutivelmente, a carne vermelha é uma grande fonte de ferro, zinco e vitamina B12 e a carne processada, defumada ou curada recebe sal e aditivos para aumentar o seu prazo de validade ou para manipular o seu gosto, que é justamente onde está o cerne do problema relacionado à estes tipos de alimentos.

“Para um indivíduo, o risco de desenvolver câncer colorretal (no intestino) por causa do consumo de carne processada continua pequeno, mas este risco aumenta com a quantidade de carne consumida”, disse Kurt Straif, da OMS.

Sendo assim, o ideal é sempre procurar uma alimentação balanceada e o mais natural possível. É necessário ter consciência de que o corpo humano necessita de uma série de vitaminas e sais minerais e, justamente por isso, ao adbicar de um ou outro alimento, é relavante informar o que tipo de vitaminas ou proteínas que você está deixando de consumir, para que possa elaborar um cardápio com uma substituição inteligente, provendo, no final, tudo o que seu corpo precisa, com qualidade de vida e saúde sendo premissas básicas.